JOGOS
Homepage
Notícias Rápidas
Antevisões
Análises
Top 10
Demos
Jogos Online
Códigos
Links
PUB
PESQUISAR
Em Jogos:
SITE MAP
Homepage
« Recuar

 


 
  JOGOS
 
Freedom Fighters
Atenção! Jogo altamente aliciante. Difícil de lagar o rato depois de começar a jogar Freedom Fighters. Já faz algum tempo que não era lançado um bom jogo de acção arcade tão nervoso e atractivo. Só é pena que pequenos defeitos fazem-lhe um pouco de sombra. Se procuras um jogo de tiro em equipa, a Io Interactive caba de servir-te os talheres.

Combatentes da liberdade

Freedom Fighters mergulha-te em plena guerra urbana. Aqui, a União Soviética pois fim a Segunda guerra mundial com bombas A lançadas sobre Berlim e depois estendeu a sua influência até invadir os Estados Unidos. E é neste preciso momento que tu, um simples canalizador, vais te tornar um homem importante na rebelião. O cenário ao longo do jogo não é assim tão pesado, mas tem um base sólida e simpática que irão dar lugar a algum humor negro e ironias.

Primeira coisa a saber sobre este título, é que não estás sozinho. Entre dois até doze colegas de equipa poderão te seguir nas tuas missões. O seu número irá depender do teu carisma. Segundo os teus actos, ganhas pontos de carisma, sempre que totalizas 100 pontos, obténs a possibilidade de contratar um homem a mais para o campo de batalha. No entanto, não pensa que se trata de um jogo de acção/táctica. Freedom Fighters é antes de tudo um shoot de arcade puro e duro. Podes dar 3 tipos de ordens aos teus homens, defender, atacar e seguir. Para aplicar uma ordem, basta mirar um ponto no chão e dar o comando desejado. Depois, deixas os teus amigos trabalhar que eles desembaracem-se muito bem. De facto os teus homens são capaz de explorar bem o ambiente para se esconderem e evitar as balas e sempre mostrando-se eficaz.

Os teus inimigos não são menos inteligentes. Eles também sabem se esconder e não perdem a ocasião para tentar ganhar vantagem. Alguns gunfights jogam-se num género de esconde-esconde. Atiras, eles escondam-se, avanças, eles atiram, tu te escondes. Podemos dizer que o IA (inteligência artificial) está excelente.


Uma resistência activa


Quanto a progressão no jogo, aqui também os programadores fizeram um bom trabalho. Avançamos por capítulos, cada um constituído por 3 missões. Em poucas palavras, entramos de cabeça e limpamos a casa antes de içar a bandeira de estrelas no cimo de um edifício. Mas sempre que temos objectivos secundários presentes, são para libertar um prisioneiro ou sabotar algo. Em ambos os casos, mais vale as efectuar, visto que elas aumentam o teu carisma e esses objectivos estão ligados as outras missões. Ir destruir os reservatórios de gasolina dos helicópteros e estes últimos já não te chateiam. Arrebenta com uma central eléctrica para desligar os projectores dos soviéticos ou explodir as pontes para impedir a chegada de reforços. E isto, é tudo menos linear. Podemos jogar as missões na ordem que desejamos e executá-las de várias maneiras. Pequeno ponto sobre o armamento, apesar do aspecto arcade, não se pode andar com 24 armas pesadas, temos de nos limitar a umas metralhadoras, pistola, snipe e uns explosivos

Agora que as bases estão colocadas, vejamos a outra grande força de Freedom Fighters: a sua acção. Em menos de dois minutos somos mergulhados no ambiente. A guerrilha está transcrito com uma rara intensidade, certas passagens são impressionantes, chovem balas por todo o lado, podemos as ver atingir as barricadas de metal, passar rente a nós, toda gente grita... Enfim, é uma confusão, mas uma confusão militar.

Progredimos até sermos parados por uma barragem teremos de liquidar, depois aparecem reforços inimigos para dificultar as coisas. Por vezes caímos numa emboscada com inimigos que aparecem a nossa volta e snipers nos telhados. A maneabilidade é intuitiva, as ordens são fáceis a dar, só temos que evitar de nos fazer um buraco na pele.

Todavia, lamentamos a existência de alguns pequenos bugs, nada que não poderá ser corrigido por um bom patch. Começo pelo IA, que é excelente a maior parte do tempo, mas aparece por vez umas paragem cerebrais nos inimigos que reagem como se fosse vitelos num matador. Depois, lamentamos o número limitado de armas disponíveis, com seis armas de fogo, 3 tipo de explosivos (no qual C4), e duas armas pesadas (anti-tanque e metralhadora fixo). Limitado também, são os movimentos. Teríamos apreciado a possibilidade de nos inclinar perto dos cantos dos muros. E por fim, último defeito no limite do imperdoável: a ausência do modo multiplayer. É mesmo pena não ter este modo, o jogo teria um bom sucesso em multi. Já me imaginava num modo cooperativo online...

Vejamos a parte técnica. Começo pelas músicas assinadas pelo Jesper Kyd que reencontramos depois do excelente trabalho efectuado em Hitman 2. Temso assim uns cantos gregorianos e temas orquestrais as quais acrescentou-se uns samples electro e alguns beat num estilo World Music. Ficou excelente. Os efeitos sonores não ficam atrás e ajudam bastante para o ambiente do jogo.

Graficamente o motor de Hitman 2 foi reutilizado numa versão um pouco modificado. Obtemos em PC modelos bem detalhados e animações convincentes, sobretudo as mortes, que além de serem realistas são impressionantes (viva as granadas). A decoração também não está mau mas a interacção está um pouco limitada.


Conclusão

Freedom Fighters é verdadeiramente aliciante. Engraçado, intuitivo e cheio de acção, aqui está um título que os fãs do género vão adorar. Apesar de um ou dois pequenos defeitos e a ausência do modo multiplayer, que lhe custou uma nota mais alta, este jogo é muito bom...

 
 
 
Avaliação:

Gráficos Som Suporte Gameplay Total
8 8 7 8 8
 
Ficha Técnica:
 
Produtor :   IO Interactive
Editor :   Electronic Arts
Estado :   Disponível
Data lançamento :   25 Setembro de 2003
Género / Tema :   Acção / Resistência
Conf. mínima :   Processador 800 MHz, 128 Mb RAM, Pl. Graf. 3D
Conf. recomendada :   Processador 1.4 GHz, 256 Mb RAM, Pl. Graf. 3D
Multiplayer :   Não
Compatível Win2000 :   Sim
Direct3D :   Sim
directX :   8.1
 
Links: